O laudo médico transmite confiança e agrega valor ao trabalho do radiologista

A radiologia tem sido cada vez mais usada em diferentes especialidades, na prevenção de  patologias, no diagnóstico precoce e no monitoramento do quadro clínico ao longo do tratamento. O papel fundamental do laudo médico é conter informações precisas e abordar questões clínicas em linguagem clara e compreensível para facilitar a comunicação com o colega que está recebendo o documento.

A rotina do radiologista, no entanto, passa por uma série de análises e processos em diferentes etapas. Essa rotina repetitiva e exaustiva, algumas vezes, pode resultar em erros. Estima-se que cerca de 4% das interpretações radiológicas tenham erros de alguma espécie.  Nos Estados Unidos, falhas no diagnóstico radiológico são responsáveis por 70% dos processos envolvendo radiologistas. 

A estruturação de laudos ajuda a organizar e padronizar o documento, além de facilitar a compreensão do médico solicitante, o que pode agregar valor ao trabalho do radiologista.  Com o objetivo de facilitar o trabalho do médico radiologista, os médicos Otto Wolf Maciel, Carlos Alexandre Martinelli Pereira e Luís Pecci Neto criaram o LEO, um software que auxilia na elaboração de laudos de radiografia, mamografia, ultrassom, tomografia computadorizada e ressonância magnética.

Através de uma árvore de decisões, um template amplo e interativo proporciona escolhas compatíveis com o método de imagem, a especialidade e a parte do corpo que serão analisados, sem deixar o médico esquecer de mencionar estruturas e achados importantes.

O médico também pode utilizar o serviço de reconhecimento de voz para ditar o laudo e ter um fácil acesso aos modelos mais recorrentes. 

Com o LEO, os médicos terão acesso a recursos disponíveis apenas em grandes hospitais e laboratórios, com vocabulário completo, contemplando os protocolos internacionais atualizados.

O produto final é um laudo padronizado, claro, preciso e  organizado, sem erros de grafia.