Preferência por laudo estruturado é tendência mundial

O laudo radiológico é o principal meio de comunicação entre o radiologista, o médico assistente e o paciente, apesar dos avanços tecnológicos. Os relatórios estruturados são uma tendência mundial, sendo mais claros e detalhados, recomendados pelo American College of Radiology e pela European Society of Radiology.

Em 2018, o Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem mostrou através de um levantamento que os relatórios estruturados com conclusão foram o estilo preferido por médicos assistentes e solicitantes.

Embora o laudo estruturado agregue valor ao trabalho dos radiologistas, alguns profissionais contestam essa metodologia por falta de conhecimento ou por considerá-la muito trabalhosa.

Para facilitar e melhorar a elaboração dos laudos, os médicos Otto Wolf Maciel, Carlos Alexandre Martinelli Pereira e Luís Pecci Neto criaram o LEO, uma ferramenta que auxilia os radiologistas nesse trabalho.

Em uma interface dinâmica e interativa, o radiologista seleciona o exame, a especialidade e o segmento corporal a ser analisado. A ferramenta contempla os exames de radiografia, mamografia, ultrassonografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética nuclear.

Ao abrir o modelo (template), surge um menu com itens relacionados. O radiologista preenche os que são compatíveis com o exame que está analisando através de uma árvore de decisão baseadas em protocolos e recomendações mais recentes. Ao final, é gerado o laudo de forma padronizada e organizada.

Se preferir, o radiologista também pode utilizar função do reconhecimento de voz integrada.O léxico e modelos utilizados pelo LEO foram baseados em artigos de referência mais recentes na literatura, além da experiência dos idealizadores.